Amigos

domingo, 22 de outubro de 2017

AQUELE VERSO

Fez-se tão belo
mas tão bem dito
que acendeu a luz radiante
de  uma estrela
no seu olhar...
Veio direto como uma flecha,
aquele verso,
sentiu-se belo, sentiu-se ardente
como uma chama no coração.
Aceso o olhar, fez-se  a paixão...
Correram mundos em labirintos
e o doce verso, profundo encanto
fez-se com asas  de passarinhos
pousando leve em seus cabelos.
Romperam diques, correram águas
e em ondas praias
de amor sereno...fez-se o amor
breve e encantado.
Só por  um verso que de tão belo
se fez canção...
E em sendo belo, em sendo puro,
em sendo prisma de diamantes,
se transmutou em alquimias
de outros planos e virou caminhos
de poesia.
Só por um verso que de tão belo
se fez canção.


Uma linda canção...
na voz  de Nei  Matogrosso        trecho de ópera  O Pescador de Perolas   de Bizet



Deixe fluir a pena...
Apenas o pensamento
E na conversa interior
apenas o momento.
olha o céu, como parece
sopra o vento e faz
mover as persianas da janela...
É tarde, literalmente tarde
para qualquer ilusão.
No entanto, quer o coração  ter esperança,
que a esperança é  vida
e o sangue que circula pede mais...
Vamos então  sonhar e
pensar que sonhar sempre é possível.
Esqueça o tempo e viva apenas
o momento
de deixar fluir a pena
e compor uma canção...

Guaraciaba  Perides

................................................................................................
Entre tantos belos versos de  tantos poetas lembrei-me destes:
"Por que tenho um amor, volto aos mitos pretéritos
E outros acrescento aos que o amor já criou
Eis que eu mesmo me torno o  mito mais radioso
e talhado em penumbra sou e  não sou, mas sou"
'Deus me deu um amor porque o mereci'
(Carlos Drummond de Andrade)

domingo, 15 de outubro de 2017

O TEMPORA ! O MORES ! * (Ó tempo! Ó costumes! )

O coração já não canta e só palpita
A alma já não sonha, só espera
que a luz brilhe de novo no caminho
e as rosas floresçam no deserto
A vida virou caleidoscópio
Amontoados de palavras insanas
Bandeiras em cirandas de punhos levantados
e nas mentiras, verdades viram mitos.
Cada sentença é uma faca em riste
Cada sorriso uma farsa infame...
Já não seguram mais seus ódios, os odientos,
e quem não quer falar recebe o epíteto "Covarde!"
A tela florescente solta uivos
As togas impolutas tomam ares
como asas soturnas entreabertas.
Os farsantes sorriem em seus esgares
como mentes polidas  de cinismo
A verdade se esconde e não possui
o sentimento de justiça que a enobrece.
E pelo mundo, os loucos procuram destruir o mundo!
Cada palavra é arma, cada olhar fuzila
Cada  língua lança chamas de fogo na retina.
Onde  o Amor se instala?
Onde a Paz se encontra?
"De onde vem o vento"?
Aquele que circula pelos montes
e sussurra nas folhagens murmurantes...
que espalha brisa perfumada pelas flores e
as do campo levantam-se assombradas...
..............................................................................
Sopra o vento pelas frestas das janelas
trazendo ao pensamento,
uma canção de outro tempo...
talvez o vento que circunda pela Terra
traga consigo uma lembrança amiga
às almas que padecem por falta de amor e de abrigo.
O vento vai e vem, no redemoinho das folhas
que não servem mais...
Um Mundo Novo possa surgir então.
E o coração palpite por um sonho
onde o amor se instale.

Guaraciaba  Perides

* O Tempora!  O Mores! - frase latina do orador Cícero, orador  do
 império romano, criticando sua própria época.

domingo, 8 de outubro de 2017

OS PASSARINHOS DE 46

A primeira ninhada após HIROSHIMA   e NAGASAKI
A primeira ninhada no fim do HOLOCAUSTO
A primeira ninhada após EUROPA  devastada
A primeira ninhada livre da opressão...
São ventos da LIBERDADE que trazem os
pássaros da nova primavera que se instala
Os Passarinhos de  46!
Vêm para reconstruir a esperança
reverenciando a vida que se foi...
Os rolos da fumaça fétida se  dispersam
Refazem-se os ninhos ,em toda parte
se constroem sonhos e Novo  vem
para substituir  a carcaça do passado...


E Eu no Ninho..."Eu  passarinho"!






Todos juntos   sempre podemos tentar....46, 48, 50........2000, 2010, 2020....ad infinitum
O Novo sempre vem!





sábado, 30 de setembro de 2017

TALVEZ, UM JEITO DE SER...

Ser o que  se predisse
desde  a primeira Aurora,
que tudo pode se maravilhoso
desde que se encontre,
talvez, um jeito de ser...
Um jeito de ser atento
às coisas belas
e que o amor seja o sentido
maior de ser feliz.
Que o que vem de dentro
seja  sempre o melhor
do que se espera...
E o Mundo lá fora seja espelho
de estar de bem  com a Vida
e com o Destino.
Que não se imponham regras
de atitude.
mas que esta seja plena de
respeito e empatia...
do Todo com o Tudo
sem predomínio de poderes
ou favores.
Afinal, cada um de nós sejamos
o Todo em partes ...
e  que se encaixem plenamente;
de modo que não se perceba
as ranhuras do encontro...
Pois que afinal, do Todo somos partes
e nestas partes juntadas somos Um!
E deste imenso "QUEBRA  CABEÇAS"
que  é o Mundo,
ressaltem-se os brilhos da ciência
oculta das sementes...
que se fazem flores, frutos,bichos e gente
no Todo do contexto de uma Esfera Azul...
que gira radiante  em volta de um Sol  maior
que ainda é menor do que um Sol  maior e
que ainda é menos do que o Maior  que Seja...
Que a alegria seja plena   e o bem
que se componha,
seja, talvez, a única
forma de  Viver.

Guaraciaba Perides


No Ponto ou Contraponto  dessa idéia
 a letra e música de Vitor Ramil, impactante e para ser intuída  'LOUCOS   DE    CARA'

Vamos viver e deixar  viver porque somos parte  do quebra cabeças e sabendo que há ordem  no Caos

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

PASSAGEIROS DO AMANHÃ

Como serão os passageiros do amanhã?
Quais serão os seus anseios
e dos  seus sonhos que farão?
No amanhã de tantos sóis e luas,
haverá ainda como amá-los
em seus arrebóis e luas cheias?
Como serão seus pensamentos
sobre a vida e a morte,
e do amor e do destino,
quais serão?
Como olharão o passado de  nós todos...
e quais serão nossas imagens no futuro...
Como pensarão de nós e nossos sonhos
e o que será para sempre vaidade e ilusão?
O que haverá na Terra abençoada
sobrevivendo e lutando pela vida,
peixes, aves, animais e flores...
Existirão ainda novas  primaveras?

Passageiros do Amanhã - que nos perdoem...
e a a Luz que ainda brilhe possa  retribuir à sombra
e a Paz possa dizer à guerra "vá-se embora"
o Amor Maior deserde para sempre  a arrogância mórbida.
e possam viajar em Graça e Luz,
os  sonhos verdadeiros de uma vida plena...
Desarmem-se as bombas do ódio inconsequente,
as formas de convívio não se prendam aos preconceitos,
o deus dinheiro cesse sua fome imunda,
que sempre mais e mais devora,
homens e tribos, idéias e suas crenças...
Ou será que como os sábios de Atlântida já sabiam,
que  a vida é uma lenda na roda do destino,
sucedam-se os fortes que farão
de uma derrota motivos da vitória...
E será que se a vida é um sonho
como  também diziam os Profetas:Será
que  apenas tudo passe,
e o resto seja apenas Vaidade e Ilusão?


Guaraciaba   Perides




Música e letra de Tom Paxton   nos anos 70   acirraram-se  as preocupações  com o destino do planeta e a conservação do meio ambiente. 
tradução livre sugerida Guaraciaba Perides:

De quem era  esse jardim?
deve ter sido adorável
Ele possuía flores?
Eu tenho visto figuras de flores
e adoraria ter sentido seus perfumes
De quem era esse rio?
você diz que ele corria livre
Era azul a  sua cor?
tenho visto o azul em algumas imagens
e adoraria ter estado lá...

Estribilho: Oh, conta-me de novo
eu preciso saber
a floresta tinha árvores,
as campinas eram verdes,
os oceanos eram azuis
e os pássaros  voavam,
você pode jurar que  era verdade?

de quem era esse céu cinzento? 
ou ele foi azul alguma vez?
As noites tinham brisas?
Eu escutei lembranças de brisas
conte-me se ,você sentiu a brisa alguma vez?


Espero sinceramente que a Humanidade sinta dentro de si, a verdade de que somos  todos Um nesse planeta e a salvação de todos é imprescindível para  nossa sobrevivência.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

UM ,DOIS, TRÊS... pense outra vez...

Um, Dois, Três...
Pense outra  vez..
E quem sabe um dia
na fantasia,
revele o dia em quem foi criança e
que se sabia
princesa ser...
E foi cigana, e foi escrava
de uma lembrança
e portadora
como se  um Anjo, de grande força,
trouxesse sonhos em coisas belas
para se ver.
Na ilusão daquele palco e no teatro
da existência,
ninguém sabia do que havia
assim guardado dentro do peito:
A linda história que a avó contava
de um mistério tão bem guardado
em um baú, mas que fechado,
necessitava de uma chave
que se encontrava dentro de um ovo
e esse ovo dentro da  pomba...de uma pomba
que precisava se encontrar...
Achando a pomba,
Achando o ovo,
achando a chave,
 e com a qual  abre o baú...
E dentro dele ,  a maravilha
do seu viver...

Guaraciaba Perides

colaboração: Isabel Perides

Vídeo: Grupo Contadores de História

A arte imita a vida no maravilhoso trabalho das marionetes...

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

UMA CENA INUSITADA

Numa dessas manhãs de claro sol
acordei com um alarido estranho
que há muito tempo não ouvia...
Parecia uma conversa onde os sons
se misturavam sem sentido...
Tentei entender o que  diziam
mas não combinavam sons e fala.
Abri a janela e duas aves verdes
sobrevoavam os telhados...
Eram duas maricatas!
Soltas do bando discutiam em
altos brados sabe-se lá o quê...
Uma delas voou para a ponta
de um telhado vizinho...
E de lá grasnava, gritava com ardor...
Seria briga ou seria  amor?
Depois de algum tempo e algumas respostas
em voo rasante chegou a companheira,
pousou do  lado oposto do telhado...
e a conversa continuava em altos sons,
depois silábicos  e amenos, quase doces.
Um tempo em silêncio, mas ainda separadas...
Por algum tipo  de acordo ou solução renderam-se
e juntas levantaram voo livre  em alguma direção...
Fiquei com a sensação de ter assistido
a uma cena inusitada...
Seria briga de casal discutindo a relação?

Guaraciaba Perides




em uma cidade como São Paulo  com mais de doze milhões da habitantes ouvir Maritacas no telhado nos dá   um sopro de esperança na sobrevivência  da vida no planeta,